quinta-feira, 9 de outubro de 2008

ALGUMAS ESTRÉIAS


Faltam apenas 22 dias para a estréia de nossa peça: “Os Excluídos”. Os ensaios vão ganhando forma e o frio na barriga aumentando a cada dia que passa. Imagino que os ruivos do Movimento Vermelho (Reunião de ruivos na Cobal do Humaitá) devem estar ansiosos pela estréia. Haverá um acontecimento importante em nossas vidas, antes da nossa estréia. As eleições para prefeito. Vamos para um segundo turno, que de certa forma, foi uma surpresa para quem vinha acompanhando as pesquisas.

O resultado do segundo turno nessas eleições mostra que não devemos nos guiar por pesquisas, pois quem escolhe o prefeito somos nós. -E não os índices publicados como verdade absoluta-. Uma das perguntas da peça, para levantar questões sobre a nossa participação na sociedade é, por quê não existem candidatos ruivos? Nem Gabeira, nem Eduardo Pães falaram sobre nós. Infelizmente temos que falar deles, pois não temos nossa província separada e nem o nosso próprio município ruivo. A pergunta que não quer calar é a seguinte: se eles não são ruivos, em quem votar? Para votar vamos avaliar o compromisso com a população carioca, o compromisso com a política que ira beneficiar a maioria dos setores de nossa sociedade. E também o mais honesto.


O termo que as pessoas usam por aí é: “quem fuma e cheira vota no Gabeira”. Pura rima sem graça. Eu não fumo, não cheiro, mas votei no Gabeira. Ah! E nem sou Homossexual. Meu voto surgiu ao ver um candidato com uma campanha limpa, sem ruas cheias de santinhos e cartazes. Poluição visual me incomoda. Meu voto surgiu da história do Gabeira com o Brasil e o compromisso que o deputado têm com a honestidade. E dá toalha vermelha que ele usa, ao sair da piscina do flamengo, lembra muito nosso Movimento Vermelho. E dos males, o menor. Não consigo ver grandes candidatos no cenário político hoje. Ruivos, pensem em suas candidaturas e na possibilidade de fazer algo para nossa sociedade.

Abraços ruivos.

Nenhum comentário: