domingo, 5 de outubro de 2008

O MOVIMENTO FOI UM SUCESSO


Cabelos alaranjados, pele branca, com grande sensibilidade ao sol, pintas, manchas, barba ruiva e cabelos pubianos vermelhos. Assim somos nós: os ruivos. E juntos somos como fogo, incendiando os pensamentos dos considerados “normais”. Criando bruxas, Nerds, prostitutas, para o bel prazer de uma sociedade que não nos entende. Estamos juntos agora. Reunidos entre sol e chuva, para falar de nossas “ruivisses”. Não procure a palavra no dicionário. É nossa, faz parte de nossa ruividão. Fizemos rodas. Parecíamos pequenos círculos de fogo no meio da Cobal do Humaitá. Não era bruxaria, e sim, Movimento Vermelho. Quem passava não deixava de notar o que estava acontecendo, até usava os ruivos como referência. “Mais tarde te encontro do lado da rodinha de ruivos. Não tem como errar” disse um rapaz que passava pelo local.

O Movimento Vermelho mostrou-se engajado. Ruivos e não ruivos falando das suas particularidades. Entre os ruivos, o bate-papo era de solidariedade e de várias situações em comum. Parecia que todos se conheciam há muito tempo. Os ruivos além de compartilharem das mesmas ansiedades e problemas, discutiram sobre os surgimentos de suas sardas e das mudanças que acontecem com o tempo em sua fisionomia. “Acredito que as sardas comecem no joelho e nos cotovelos e depois elas vão se espalhando. Quando os ruivos são pequenos, o cabelo laranja é que se destaca. A sarda vem chegando com a exposição ao sol”. Comentou Pedro, ator da peça "Os Excluídos".

A maioria dos ruivos entrevistados, para o vídeo que fará parte da peça, disse que as perguntas mais freqüentes são sobre os pêlos pubianos. As pessoas querem saber se são da mesma cor dos cabelos. Outro assunto muito comentado, nas rodas de bate-papo, era sobre os estereótipos dos ruivos. As mulheres são consideradas mais fogosas e em novelas ou mini-séries são as donas de prostíbulos e mexem com o imaginário dos homens. No caso dos rapazes, a coisa acontece de outra forma. O homem é sempre considerado Nerd e vira o bobão no meio da rapaziada.

A conversa regada a chopp foi perdendo o colarinho, o ambiente vermelho foi diminuindo. A chuva foi parando, a noite chegando, a mesa ficando vazia, já não havia mais tanto fogo no local, nem papo de ruivo. De tudo me restaram as perguntas: serão os ruivos excluídos pela sociedade. Será que um dia acabarão as pessoas ruivas no planeta? O que é preciso para ser um ruivo de carteirinha? Existe meio ruivo? Todas essas perguntas vão ao palco, algumas serão respondidas, outras continuaram sem respostas, mas você certamente será modificado, ao ver um espetáculo: “Os Excluídos.”

2 comentários:

Dayse disse...

Poxa, queria ter ido. Aquela chuva me deixou de fora. De toda forma tentarei ver a peça. Sou irmã do Nelson Corrêa, portanto, ruiva natural, só que um ruivo mais bonito que o dele...ehehehehe... Parabéns! Sucesso!!!!!!

- disse...

omg, sério, me senti em casa *-* DOSAIDPOISA