quinta-feira, 19 de março de 2009

SAI DESSA FALCOM


A primeira Barbie a ser fabricada foi leiloada. Ela é a única esperança de amor para Falcom, o primeiro é único boneco com características ruivas. O comprador, o psicólogo paulista Carlo Keffer, de 39 anos, vendeu o seu carro para dar o maior lance. Não se sabe quanto custou à boneca, mas o colecionador quer crianças distantes dela. O acervo do psicólogo é de 540 bonecas, o que levou 14 anos e mais de R$ 200 mil em Barbies, buscadas pelo mundo. Os 50 anos da boneca, que surgiu em 09 de março, de 1959, com o nome de Barbara Millicent Robert, em Willows, Wisconsin (norte), pode estar em crise.
Com manequim de 29 centímetros de altura, pernas longas e seios salientes, para parecer natural, Barbie bateu todos os recordes de vendas, depois de ter causado polêmica, numa Feira de Brinquedos, em Nova York. Em sua trajetória profissional Barbie teve 108 profissões, um milhão de roupas, segundo o seu site oficial. Passou também pelos "looks" à la Grace Kelly dos anos 60, vestiu de Woodstock nos anos 70 e se tornou mulher de negócios nos anos 80, até chegar à Casa Branca em 1992. Em seguida, rompeu o relacionamento com seu noivo Ken, em 2004. O que deixou os ruivos esperançosos quanto a sua quedinha pelo Falcom. Será que agora rola alguma coisa? Mas além de sua vida conjugal, a própria Barbie está em perigo. Suas vendas caíram em 2008, pelo sétimo ano consecutivo, depois do surgimento de sua concorrente Bratz, uma boneca que mostra o umbigo, o que a Barbie só passou a ter em 2000. O apelo sexual está levando a Barbie a derrocada.
Para piorar ainda mais a situação, a Barbie e seu fabricante terão de enfrentar o lançamento iminente de "Toy Monster: The Big, Bad World of Mattel" ("O monstro dos brinquedos: o grande e malvado mundo da Mattel", numa tradução livre). O autor deste livro, Jerry Openheimer, revela, entre outras coisas, a vida sexual de Jack Ryan, o engenheiro que criou a Barbie e o Ken. Ainda bem que o comprador da Barbie foi um psicólogo. Falcom sai dessa!!!

Um comentário:

Naldus disse...

hehehe, legal o texto!

Cara, Ester e eu adoramos a peça, acho que veremos de novo!

paz e bem!